25 de julho de 2014

Brasilidade.

Só pelo do Gus. hahah







Devo começar esse texto deixando bem claro que não sou nenhuma patriota, que por muitas vezes desejei ter nascido em algum país da Europa (Inglaterra ou Irlanda), por que eu me orgulharia de viver em um país de terceiro mundo – ou subdesenvolvido, chamem como quiser – onde a educação, a segurança e a saúde são tratadas de forma esdrúxula?!

A resposta dessa pergunta só me veio anos depois, talvez com a famosa maturidade, quando percebi que meu problema não era sentir vergonha do meu país, mas sim de quem os comanda. Minha vergonha e raiva são para os políticos e para nós, eleitores, que não sabemos eleger pessoas para cargos políticos. Mas antes que você feche essa página, achando que esse é um texto político, eu te aviso: não, esse texto é sobre brasilidade

Como eu já citei nesse texto, não sou nenhuma patriota, mas também nunca fui nenhuma paga-pau de gringo, na verdade essa atitude de cultuar o país dos outros e ignorar a cultura do seu próprio país sempre me deixou muito puta. Fico impressionada com a quantidade de pessoas que sabem direitinho o dia da Independência dos Estados Unidos, o que é o Dia de Ação de Graças, mas se você perguntar o que foi a Guerra dos Farrapos ela vai te olhar com uma cara de que não tem noção do que se trata.

Muitos dizem que não se sentem brasileiros porque não gostam de futebol, samba ou carnaval. O engraçado que isso é um estereótipo que muitos estrangeiros fazem do Brasil, mas que infelizmente muitos brasileiros também acreditam. É como eu dizer que todo francês é mal educado, que todo inglês têm dentes amarelos.

A diversidade brasileira é riquíssima, nós temos o frevo, os contos de cordel, as festas juninas, a festa de Parintins, mas também temos bandas de rock, grandes escritores, cantores, grafiteiros, cineastas, dançarinos... Tudo é uma questão de pesquisar. Um povo que não sabe a sua própria história, que não conhece suas origens, cultura e costumes é um povo pobre.  

Não serei hipócrita e vou escrever aqui eu sou uma fã enlouquecida da cultura brasileira, na verdade eu sou uma admiradora passiva, sempre apreciando tudo de longe. Porém, isso mudou depois que vi uma reportagem homenageando Ariano Suassuna, um homem que sabia falar do Brasil para os brasileiros de uma forma simples.

Como uma pessoa que ama descobrir coisas novas, me desafiei a conhecer mais a cultura do meu país e ser menos preconceituosa. Quem nunca disse que não ia ler/ouvir/assistir algo porque era brasileiro? Eu já disse isso várias vezes e hoje percebo o quanto fui idiota e ignorante.

É por isso resolvi adicionar ao meu cotidiano mais brasilidade: começar a ler autores nacionais (dos clássicos aos contemporâneos), dar mais valor ao cinema nacional, pesquisar mais sobre nossas tradições e o mais difícil: combater o preconceito com as bandas nacionais. E pretendo compartilhar isso com todos vocês, todas as minhas experiências, as coisas que eu amei, o que eu odiei. 

Eu realmente quero a opinião sincera de vocês: como anda a sua brasilidade?

11 comentários:

  1. Com todos os problemas do Brasil eu ainda prefiro aqui,não trocaria essa liberdade por nada,como diz na imagem "não troco meu oxente pelo ok de ninguém"
    beijos,

    http://opslia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Concordo com tudo o que você disse. O Brasil é um país extremamente rico, tanto na natureza quanto na cultura. Temos uma biodiversidade enorme, danças, cantos, histórias de guerras, histórias desse país que tanto lutou para ter a independência que tem hoje... No entanto, muitas vezes, penso que todas essas lutas estão sendo desperdiçadas a cada eleição, a cada político corrupto que assume o poder... Antes de julgar, como muitos fazem, virar a cara para tudo o que é nacional, a gente tem que pensar no potencial que o nosso país tem e que só está esperando os governantes certos para ser mostrado.

    Adorei aqui e já estou seguindo :)
    http://amantedemakes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. A valorização pelo exterior vem desde cedo, nos ensinado. O Brasil é riquíssimo em sua diversidade cultural. Claro que existe a parte negativa, se tratando da corrupção. Negar de onde viemos e convivemos é negar a nossa própria identidade e nos falsearmos diante a nós mesmos. Não troco minha identidade, minha origem e diversidade por nada.
    Como dizia música de Lenine: "[...] O meu nome é Tupy
    Gaykuru
    Meu nome é Peri
    De Ceci
    Eu sou neto de Caramuru
    Sou Galdino, Juruna e Raoni..."

    http://desconstruindoocaos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa música do Lenine <33 Concordo plenamente com você.

      Excluir
  4. Eu também não sou patriota,eu gosto do que gosto e pronto não ligo se é do Brasil ou de fora, logicamente que reconheço tudo de bom que temos no Brasil
    Te espero no blog
    SORTEIO POST NOVO
    Um beijo flor

    ResponderExcluir
  5. Vamos destacar agora algo importante: amei/adorei/apaixonei pelo teu blog! Serio, com muita sinceridade digo isso, (me cativou logo de cara por causa do cervo ali em cima hahaha) a forma que você escreve é fantástica. E escolheu muito bem o tema desse texto, acho que todo brasileiro esquece um pouco da própria cultura, não consegue enxergar os pontos positivos do pais e não precisa ser patriota para notar isso! Isso chega me aborrecer um pouco as vezes...

    Beijos de sua mais nova seguidora :) ♥
    xx
    eternaaprendiz.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito, muito, muito obrigada Débora <33 Você não tem noção de como o seu comentário me deixou feliz! Cervos são divos, amo ♥ hahah
      Eu estava com esse tema na cabeça há um bom tempo e queria muito discutir isso, pois tem tanta gente que desvaloriza o país, como se o Brasil só tivesse merda, mas não é assim, galera. Ter conhecimento é a chave e se o povo daqui tivesse mais, talvez, o Brasil poderia ser diferente.

      Excluir
  6. QUE DROGA CAROL, SERÁ QUE DÁ PRA PARAR COM ESSES POSTS INCRÍVEIS?! Mentira, não pare nunca, mas SOCORRO! Só você pra tratar de assuntos "tabus" dessa forma simples, descontraída e repleta de verdades. E com esse post incrível já aviso que meu comentário precisa ser enorme.
    No início da minha adolescência (na verdade grande parte dela) eu fui daquelas que era levada por qualquer onda. Tinha a mesma opinião de todos, gostava das bandas de mais sucesso, era fã da saga do momento. Apesar disso sempre fui "fora dos padrões", vai entender, acho que faz parte de mim. haha E na minha fase tumblr eu tinha muito disso de "coca cola, doritos, queria morar nos Estados Unidos" sendo que tomo coca só no final de semana, detesto doritos (mas amo outras besteiras, não me leve a mal) e queria ter nascido em outro país pelo simples fato de que todos queriam o mesmo. Aos poucos a luz foi entrando em minha vida kk e me dei conta de que existem divergências pra tudo e que poderia ter opiniões diferentes sem medo de ficar excluída do resto do mundo. Me dei conta das coisas boas que o Brasil tem: do calor humano, do bom humor, da culinária, da música, da literatura e dessa maneira de viver que nem faz tanto sentido comparada ao modo que esse país é governado. Ainda assim não me considerava patriota até o momento em que... ACREDITE OU NÃO MUNDO... começaram as manifestações no Brasil. Ver tantos jovens na rua clamando pelo governo que merecemos não fez muito sentido de início. "Que jovem se importa tanto com política?" "Será que isso é só fogo de palha?" "Por que a TV diz uma coisa e na internet as informações correm de maneira diferente?" Minha mente se abriu mais do que nunca e nasceu em mim a vontade de fazer algo pelo meu país, porque eu amo viver aqui e acredito que merecemos e podemos alcançar o melhor. Aí eu passei a verdadeiramente amar o meu país.
    Infelizmente acabei passando a ideia pra algumas pessoas de que eu só estava empolgada com toda a agitação, daí preferi deixar de compartilhar essas coisas nas redes sociais e me focar mais na minha própria conscientização. Continuo não gostando de política mas entendo a importância de ao menos ter uma noção dela no país, continuo desejando loucamente fazer um intercâmbio mas sempre vou querer voltar pra cá, continuo amando livros, séries, bandas americanas mas não nego o valor e talento da música brasileira (que na minha opinião, tem um encanto só dela). Não gosto de futebol mas em todas as copas tô torcendo, tô cantando o hino e me apaixonando pelos jogadores da seleção. Sempre fui assim nas copas e não vou mudar agora só porque fulano acha que que não sou brasileira de verdade se fizer isso.
    E hoje sou assim, patriota mas sem muita noção do acervo cultural brasileiro. Ainda estou em processo de descoberta do meu país e da minha pessoa, e talvez esse processo não termine nunca.
    Desculpa pelo comentário gigante e pelas informações absolutamente desnecessárias sobre a minha vida, mas eu amei o seu texto.

    http://raquelcarmim.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se desculpe pelo comentário, pois esses comentários grandes mostram que você tem algo para discutir sobre o texto que eu escrevi e isso que eu quero: que o assunto seja discutido.
      O bom de amadurecer e você olhar para trás e perceber o quanto você já foi bobo em certos assuntos. Eu achava que era besteira, mas o tempo realmente é o melhor remédio.
      Eu já me deixei muito me levar pelos outros, nos últimos anos percebi como isso é idiota e como eu tenho que fazer o que eu quero e o que eu quero agora é conhecer mais a minha cultura e parar de babar ovo pelo país dos outros, achando que no meu só tem porcaria. É hora de valorizar minhas raízes.

      Excluir
  7. AMEI O POST! Uma das coisas que mais me irritam nesse mundo é gente que julga a cultura brasileira sem nem ao menos conhecê-la. Essa mania de "tudo que vem de fora é bem melhor" e derivados me irrita. Algumas coisas são melhores? Realmente, mas não é certo pensar que o exterior é um conto de fadas porque não é! A verdade é que brasileiro tem mania de pensar que só o Brasil tem problemas. Adoram elogiar os outros países, mas NUNCA pesquisaram sobre os problemas que esses países têm. E sabe o que é pior? Você tenta abrir os olhos da pessoa e ela pensa que você é a errada e implicante. Eu me irrito TANTO com essa gente de mente fechada que hoje em dia prefiro sair andando e evitar tocar no assunto, sinceramente. Não vou mentir: gosto de muitas coisas internacionais, adoraria morar fora e já tive essa mentalidade fechada, mas atualmente eu JAMAIS sairia do Brasil com a mentalidade que tô indo pro paraíso, porque graças a Deus leio o suficiente pra saber que algumas são igualmente ruins - ou até mesmo piores. Brasil tem problemas? Sim. Brasil precisa melhorar? Sim. Existem países piores? Muitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo, a ignorância é uma grande merda! As pessoas acham bem mais fácil só falar qualquer merda, mas pesquisar antes de falar sobre determinado assunto ninguém faz, porque é muito trabalhoso pesquisar e saber mais das coisas antes de ficar espalhando baboseiras pelos sete cantos. Vergonhoso ):

      Excluir